tres tracos
Registar

Repescagem Mundial: os melhores protagonistas costumam destacar-se nesta fase?

tiago magalhaes
Escritor:
Tiago Magalhães
Publicado em:
04/04/2022
0 comentario

O Campeonato do Mundo de futebol junta as melhores seleções do planeta de quatro em quatro anos, num evento marcado pela emoção e adrenalina à escala global e onde estão alguns dos melhores protagonistas da modalidade.

Todas as edições desta competição ficam marcadas por grandes nações a lutarem por lugares exclusivos, algo que nem sempre é fácil, tendo em consideração o talento cada vez mais espalhado por diferentes países.

Neste sentido, muitas das seleções de topo são remetidas para uma fase de repescagem da copa, onde em eliminatórias de grande intensidade tudo acaba por ser decidido.

Historial das fases de repescagem europeias

O “velho continente” continua a ser uma das zonas de qualificação mais competitivas, não só pelo número elevado de seleções presente, mas também porque o talento começa a dispersar-se por zonas que há uns anos não marcavam presença no topo.

Cada vez vemos resultados mais surpreendentes, com seleções colocadas em piores rankings a conseguir “roubar” pontos a adversários mais condecorados, complicando assim estas fases de qualificação, ao ponto de levar algumas seleções aos “playoffs”.

Este é o primeiro ano em que a fase de repescagem da copa tem um formato diferente do habitual, sendo que em edições anteriores, os melhores segundos classificados defrontavam-se entre si num “playoff” a duas mãos, onde quem vence-se garantiria um lugar no Campeonato do Mundo.

Fruto de sorteios mais complicados ou de fases de qualificação menos conseguidas, algumas das seleções com maior poderio foram “relegadas” para esta repescagem nos últimos anos, com alguns países em destaque.

Portugal, o campeão europeu de 2016 e a Itália, campeã europeia de 2020, são apenas dois dos nomes que mais recentemente tiveram de realizar estes jogos para chegar à fase final da competição, nem sempre com sorte.

Contudo, existem outras nações que podemos destacar nos últimos anos e que tiveram de passar por esta repescagem, como por exemplo a França, Suécia e Croácia, sobretudo devido aos seus históricos em termos internacionais.

Portugal e a estrelinha da sorte

A seleção portuguesa tem tendência para fazer sofrer os seus adeptos, sendo que em três dos últimos quatro Campeonatos do Mundo tiveram de ir a esta fase de repescagem para conseguir um lugar na fase final da competição.

Felizmente para os portugueses, estas eliminatórias acabaram sempre por ter um sabor doce, conseguindo no final de contas marcar presença no Campeonato do Mundo, mas nem sempre a tarefa foi fácil.

Para além de estarem integrados na repescagem para o Qatar 2022, a última vez que os portugueses tiveram de passar por esta fase foi em 2014, no Brasil, onde defrontámos a Suécia, garantindo a qualificação com um resultado agregado de 4-2.

Por último, e fechando as qualificações mais recentes, a edição de 2010, disputada na África do Sul, também teve uma repescagem com a presença portuguesa, sendo que desta vez frente à Bósnia-Herzegovina, com duas vitórias por 1-0 nos jogos disputados.

Estas acabaram por ser eliminatórias onde Portugal se superiorizou por completo em relação aos seus adversários, mas onde é preciso realçar que, na verdade, e numa primeira instância, nem deveriam ter sido remetidos para estes jogos, demostrando algum demérito na fase de grupos.

Os grandes craques europeus na fase de repescagem

Como referimos anteriormente, algumas das melhores seleções do mundo acabaram por ter de passar por esta fase de repescagem da copa. No entanto, alguns que protagonistas que contamos que estejam sempre na luta pelas decisões, tiveram de suar frente a seleções de menor calibre.

Esta é uma altura em que alguns dos melhores jogadores do planeta se acabam por destacar. Levam  as suas seleções a outros níveis, abrindo assim oportunidades para estarem presentes em fases finais de mundiais, algo que todos os grandes craques ambicionam.

Vejamos então alguns dos nomes mais destacados dos últimos anos no que toca à fase de repescagem europeia para as várias edições dos Campeonatos do Mundo.

Cristiano Ronaldo

O astro português é dos jogadores que mais vezes marcou presença nestes jogos decisivos, sendo extremamente importante na seleção portuguesa. Não só contribui com golos, mas também para que o nosso país chegasse ao Mundial.

Na qualificação para 2014, Cristiano Ronaldo e a seleção portuguesa defrontaram a congénere sueca, um dos adversários mais difíceis presentes nesta qualificação. No primeiro jogo, disputado no Estádio da Luz, CR7 marcou o golo solitário que pôs os portugueses em vantagem na eliminatória.

Numa das exibições mais históricas do avançado português ao serviço da seleção das quinas, Cristiano Ronaldo levou a equipa às costas, conseguindo uma vitória por 2-3, com um “hat trick” marcado em menos de 30 minutos e golos a aparecerem na segunda parte.

Apesar de ter estado presente e contribuído para a qualificação em 2010, o atual jogador do Manchester United não foi marcador de nenhum dos golos frente à Bósnia-Herzegovina.

Zlatan Ibrahimovic

A Suécia é outra das seleções com muita experiência no que toca às fases de qualificação, sendo que estiveram presentes nos dois últimos playoffs da repescagem da copa em 2018 e 2014. Contudo, o sucesso não é igual ao da seleção portuguesa, sendo que em apenas uma das ocasiões conseguiu ser repescada para a fase final.

Ibrahimovic, provavelmente o melhor jogador de sempre desta nação, foi membro integrante destes jogos decisivos, sendo que na eliminatória para o Mundial 2018 teve a Itália pela frente, um confronto extremamente complicado.

Os suecos preservaram e conseguiram eliminar a equipa italiana. Bastou um golo nas duas mãos da eliminatória, onde o veterano sueco acabou por não fazer o gosto ao pé. Se o sucesso coletivo se sobrepôs ao individual em 2018, o mesmo não aconteceu na qualificação para o Mundial 2014, onde enfrentaram Portugal.

O avançado sueco esteve a um grande nível marcando dois golos no jogo decisivo e, em certa altura, empatando a eliminatória, contudo, a equipa viria a ser eliminada com a famosa exibição de CR7.

Luka Modric

Longe de ser um marcador de golos como Zlatan Ibrahimovic e Cristiano Ronaldo, é importante referir que outro ex-melhor jogador do mundo também já marcou presença em fases de repescagem. Falamos de Luka Modric. 

O médio do Real Madrid foi parte crucial da qualificação em 2018. Frente à Grécia, na fase de repescagem, marcou um dos quatro golos que viria a sentenciar esta eliminatória logo na primeira mão.

Em 2014, com uma tarefa bem mais difícil e onde apenas conseguiu destacar-se no segundo jogo da eliminatória, a Croácia acabou por se qualificar eliminando a Islândia, tendo Modric sido um dos jogadores de maior relevo, apesar de não ter concretizado qualquer golo.

Seleções com historial

Apesar de Cristiano Ronaldo e Zlatan Ibrahimovic serem dos jogadores em maior destaque no que toca a fases de repescagem da copa, há algumas seleções que, por si só, são alvo de enorme importância, muitas delas não pelas melhores razões.

Países como a Itália, a França e a Croácia tiveram de recorrer a esta fase de repescagem, sendo que uma não pode propriamente orgulhar-se das suas exibições.

Em 2018, tanto a Itália como a Croácia estiveram nesta eliminatória. Os italianos foram eliminados pela Suécia, enquanto os croatas “voaram” por cima dos gregos.

Em 2014 foi a vez da França se juntar à Croácia, com a seleção dos Balcãs a eliminar a congénere da Islândia, enquanto os franceses tiveram uma tarefa muito difícil frente à Ucrânia, entrando para o segundo jogo a perder por dois golos de desvantagem.

A França voltou a estar presente em 2010 numa eliminatória, desta vez marcada pela controvérsia devido a um golo dos franceses que não deveria ter sido legal e que fez com que a  seleção se qualificasse para o Campeonato do Mundo.

Thierry Henry foi o grande protagonista deste momento. Ao dominar a bola com a mão, beneficiou desse contacto. O avançado francês admitiu em público ter tocado com a mão, mas a FIFA recusou o pedido dos irlandeses para repetir o jogo. 

Importância desta fase para apostas

Estes são mais jogos onde a emoção será nota dominante e onde certamente veremos algumas apostas de grande valor, sobretudo no que toca aos marcadores de golos. Com o novo formato implementado, um golo poderá fazer toda a diferença, por isso, esteja atento a tudo o que as grandes estrelas presentes podem fazer para elevar o nível da sua seleção. 

Relembramos que esta repescagem da copa é composta por meias-finais e finais, onde apenas três seleções terão lugar garantido no Mundial Qatar 2022 através da UEFA.

Assim, nada melhor do que conferir as linhas mais tradicionais. O equilíbrio das odds será evidente, apenas com alguns ascendentes para os crónicos favoritos, sendo que poderá encontrar odds surpreendentes para aquelas equipas “teoricamente” menos favoritas.

Visite-nos regularmente no Odds Scanners para se preparar para jogos de grande intensidade!