tres tracos
Registar

Olimpíadas de Inverno 2022: As últimas chances pelas medalhas

tiago magalhaes
Escritor:
Tiago Magalhães
Publicado em:
13/02/2022
0 comentario

As Olimpíadas de inverno de 2022, que estão a ser realizadas em Pequim, têm sido marcadas por verdadeiras emoções fortes e com alguns dos melhores atletas do mundo a destacarem-se com performances memoráveis.

Apesar do contexto ligeiramente diferente dos Jogos Olímpicos de Tóquio em 2021, não deixa de ser um evento à escala global onde se encontram protagonistas de enorme qualidade, que se destacam na história dos seus respetivos desportos.

Com apenas uma semana para finalizar as competições, fazemos uma análise geral a tudo o que se passou e ao que ainda está para acontecer na capital do desporto de inverno.

Os pontos altos da primeira semana

Os primeiros dias de competição foram recheados de grandes momentos que certamente ficarão marcados no espírito olímpico e, sobretudo, nas carreiras destes atletas, devido às grandes performances e marcas obtidas.

Baumgartner e Jacobellis

A final de Snowboard de equipas mistas fica marcada por esta “velha” dupla, com Lindsey Jacobellis a garantir a sua segunda medalha olímpica na sua 5ª participação consecutiva neste evento, enquanto Baumgartner arrecadou a sua primeira medalha em quatro Olimpíadas.

Baumgartner tornou-se com esta distinção o campeão olímpico de snowboard mais velho da história. Uma verdadeira história de luxo!

Allesandro Haemmerle

O austríaco garantiu uma das medalhas mais emocionantes de sempre nos Jogos Olímpicos de Inverno, depois de duas participações em 17º e 7º lugares, respetivamente.

Na especialidade de snowboard cross foi preciso ir ao “photo finish” para ver os vencedores das respetivas medalhas, numa decisão ao milímetro.

Nathan Chen

Há atletas que ficam marcados na história do desporto mundial e Nathan Chen é sem dúvida um deles após a sua vitória na patinagem artística livre.

Com apenas 22 anos, esta é a sua segunda participação nas Olimpíadas, sendo que garantiu a medalha com uma margem incrível de 22 pontos de avanço sobre os seus adversários mais próximos.

Eileen Gu

Com uma marca de 93,75, a chinesa de apenas 18 anos já tem a sua marca no livro dos recordes olímpicos ao ser a atleta mais nova de sempre a garantir a medalha de ouro no evento de Freestyle Skiing.

Ireen Wust

A velocista em patinagem é um nome incontornável dos desportos de Inverno, não só por ter obtido a sua décima segunda medalha de ouro nas Olimpíadas, mas também por conseguir fazê-lo em 5 edições consecutivas.

São 6 as medalhas de ouro da neerlandesa, que determinou neste evento um recorde olímpico que muito dificilmente alguém irá bater.

Kamila Valiyeva

A representar o ROC (equipa associada ao Comité Olímpico Russo), Kamila Valiyeva tornou-se a primeira mulher de sempre a conseguir um quadruplo salto em patinagem numas Olimpíadas da era moderna.

Mais impressionante que isso, só o facto de a russa ter apenas 15 anos de idade.

Zoi Sadowski-Synnott

A Nova Zelândia, um país conhecido pelas temperaturas mais elevadas, conseguiu a sua primeira medalha de sempre através de Zoi Sadowski-Synnott, no evento de snowboard.

Esta atleta fica assim marcada na história do seu país e também desta competição, sendo que o seu futuro poderá ser brilhante.

Desportos com maior atração

Existem inúmeros desportos que se destacam por entre várias competições que são disputadas ao longo deste mês, porém, alguns possuem uma importância ainda maior devido à legião de fãs que atraem aos ecrãs.

Curling

O curling é, provavelmente, o desporto com mais entusiastas devido à “estranheza” associada a todo o evento e ao contexto prático em si, que ainda deixa pessoas muito confusa. A pureza tática e a capacidade de trabalho de equipa estão em evidência neste desporto, sendo uma das competições mais apreciadas nas Olimpíadas.

Snowboard

O snowboard é dos desportos que mais disciplinas tem associada e, assim sendo, é também das competições que mais momentos de espetacularidade nos proporciona durante toda a edição dos Jogos Olímpicos.

Os voos acrobáticos, as tentativas heroicas por proezas nunca antes feitas e as decisões ao pormenor marcam a reputação deste desporto.

Patinagem Artística

A fluidez, a complexidade e o brilhantismo da patinagem artística são características muito difíceis de replicar em outras modalidades, algo que certamente deixa os adeptos de boca aberta com a maioria das exibições.

Estes têm sido dos eventos com maiores histórias de realce nestes primeiros dias, com destaque para Nathan Chan e Kamila Valiyeva.

Esqui Alpino

O esqui alpino é das modalidades com mais disciplinas nestas Olimpíadas, sendo que irá encontrar 11 eventos diferentes associados a este desporto.

Desde as descidas mais rápidas até aos saltos mais inesperados, certamente que esta é uma modalidade que fica na maioria de qualquer pessoa que cruze o seu caminho com um evento destes na televisão.

Nações em destaque até ao momento

Até ao momento da redação deste artigo, mais de uma centena de medalhas já foram distribuídas, sendo que existem algumas nações em grande destaque até ao momento nos Jogos Olímpicos de Inverno.

Alemanha

Os alemães lideram o medalheiro, neste momento, contando com 14 medalhas no seu palmarés, com grande destaque para as 8 de ouro angariadas. Para além disso, ainda somam à sua classificação 5 medalhas de pratas e 3 de bronze, um feito excelente para esta nação.

Noruega

Logo atrás dos alemães na luta do medalheiro estão os noruegueses, que na verdade contam o mesmo número de medalhas de ouro (8) e até um total mais alto (17). A nação escandinava “perde” para o seu concorrente do “velho continente”, por contar apenas com 3 medalhas de prata e 6 de bronze.

Áustria

Apesar de serem apenas os 6º classificados no medalheiro, a Áustria conta com 14 medalhas ganhas no seu palmarés nesta edição dos Jogos Olímpicos. Com 4 ouros obtidos, a que juntam 6 medalhas de prata e 4 medalhas de bronze, muito ainda está por acontecer na sua classificação final.

Estados Unidos da América

Sendo os EUA uma das nações mais prolíferas em termos de medalhas olímpicas, o terceiro posto pode ainda ser melhorado por parte dos norte americanos. Até ao momento, contam com 5 medalhas de ouro, 5 de prata e 1 de bronze, para um total de 11 conquistas para este país.

ROC (Comité Olímpico Russo)

Com apenas 3 medalhas de ouro, é esperado que até ao fim das Olimpíadas o ROC consiga subir da 8ª posição onde se encontra atualmente. A juntar às mais altas distinções, a equipa formada por atletas russos conseguiu também 4 medalhas de prata e 6 de bronze.

Melhores mercados para aposta

Ainda há vários dias de competição até ao encerramento oficial das Olimpíadas de 2022 em Pequim, sendo que algumas das modalidades só agora entraram em jogo.

Por vezes, e apelando um pouco ao “espírito olímpico”, é impossível destacar uma modalidade que venha a ser a mais apostada. Porém, espera-se que estes sejam os desportos em maior evidência.

  • Esqui Alpino
  • Esqui Cross Country
  • Biatlo
  • Bobsleigh
  • Esqui Freestyle

As nossas tips para o que falta

As Olimpíadas de inverno são verdadeiramente imprevisíveis. Porém, se tivéssemos de realçar alguns prognósticos para aquilo que falta, os nossas “tips” de maior consideração seriam:

Biatlo (Perseguição 12,5km)

Johannes Boe e Quentin Maillet são os grandes destaques nesta disciplina. Então não seria de todo impensável vermos uma ligeira surpresa por parte do francês, uma vez que já garantiu uma medalha de ouro nos 20 km.

Patinagem de velocidade (Perseguição em equipa)

Os neerlandeses são uma nação extremamente poderosa em muitos dos desportos realizados em velocidade (tanto no velódromo das Olimpíadas de verão, como em gelo nas de inverno). Apesar de serem os maiores favoritos a vencer esta competição, a odd acaba por ser bastante proveitosa.

Freestyle Skiing (Sky Cross)

Numa das competições mais abertas desta edição dos Jogos Olímpicos de Inverno, o Sky Cross pode ser a modalidade onde veremos uma surpresa. Sendo apenas o terceiro favorito a vencer esta disciplina, Bastien Midol poderá aplicar a sua experiência para suplantar Regez e Tchiknavorian.

Esqui Alpino (Downhill)

Para finalizar, temos uma “tip” para um dos desportos mais espetaculares, com as casas de aposta a equilibrarem um possível título entre as suíças Behrami e Corinne Suter e a italiana Sofia Goggia.

Behrami é a maior favorita à vitória e entende-se perfeitamente o porquê. Porém, o equilíbrio das odds faz com que as possibilidades desta atleta se tornem muito proveitosas numa aposta.

Onde acompanhar os diferentes eventos

Apesar da cobertura ser ligeiramente da dos Jogos Olímpicos de “verão”, a verdade é que existem inúmeros “outlets” onde se pode seguir tudo o que se passa neste evento, mesmo com o desfasamento horário existente entre Portugal e a China.

Além destes espaços, há a possibilidade de acompanhar nas casas de apostas em Portugal todos os eventos que estão a ocorrer, ao vivo, tal como as estatísticas atualizadas e outras informações relativas a cada competição.

Por último, mas não menos importante, é possível consultar todas as notícias e acompanhar os diferentes eventos na nossa plataforma!

Emoções ao rubro em Pequim

Ainda existe um enorme desconhecimento relativo aos desportos de inverno, não só pela falta de informação existente, mas também por estes não captarem tanto a atenção como outras modalidades mais reconhecidas, nem Portugal ser um país com a neve necessária para criar uma forte tradição.

Independentemente disto, as Olimpíadas de inverno têm sido marcadas por emoções ao rubro e Pequim tem acolhido de forma positiva o evento até ao momento.

Não perca a última semana de competições, já que muitos recordes olímpicos ainda estão por bater e a luta pelas medalhas encontra-se a um ritmo alucinante, o que se deverá manter até ao último dia.