tres tracos
Registar

Odds e Análise da Final da Champions League 21/22

tiago magalhaes
Escritor:
Tiago Magalhães
Publicado em:
27/05/2022
0 comentario

O jogo mais importante do ano para todos os amantes do futebol europeu está a chegar e esta final da Champions League promete ser, mais uma vez, um duelo de titãs. Em campo estarão duas das equipas mais emblemáticas do “velho continente”, com o Liverpool e o Real Madrid a procurarem mais um título para juntarem ao seu já enorme palmarés.

A partida mais esperada do ano será disputada no Stade de France, em Paris, depois da UEFA ter retirado a organização do evento à Rússia, devido aos conflitos existentes.

Os ingleses partem com ligeiro favoritismo segundo as casas de apostas, porém, o Real Madrid tem vindo a surpreender tudo e todos nestas eliminatórias, sendo que não será de todo uma surpresa se voltar a levantar o título.

Esta é uma partida marcada por duas equipas com futebol extremamente atrativo e que realizaram excelentes temporadas a nível interno. Os espanhóis sagraram-se campeões e os ingleses venceram duas das três competições em que estavam inseridos.

Neste guia realizamos uma análise detalhada e completa sobre todos os intervenientes, bem como sobre o que esperar desta partida. Especial incidência para os mercados de apostas e as odds existentes para este jogo, tal como para todo o historial que estes emblemas trazem consigo.

Dois dos emblemas mais condecorados na Europa

Se tivermos em consideração todas as designações que este troféu já teve desde a sua criação, estamos perante dois emblemas que conseguiram ganhar 19 vezes o título de campeão europeu, um número verdadeiramente avassalador.

O Real Madrid esteve presente em 16 finais europeias, sendo atualmente o clube mais condecorado presentemente na final da Champions League, depois de ter obtido 13 títulos até ao momento. Depois do seu domínio nos anos 50, ao conseguirem cinco troféus consecutivos, e do histórico mais recente (de 2014, ao acumularem mais quatro subidas ao lugar mais alto do pódio), os merengues são a equipa mais titulada da Europa.

Por outro lado, o Liverpool, é uma das equipas mais próximas do Real Madrid na perseguição ao recorde. Atualmente, das 9 finais que disputou, conseguiu vencer em 6 ocasiões. Damos especial importância aos anos 70, 80 e à vitória em 2019. Os ingleses são um dos emblemas com melhor percentagem de vitórias nesta competição, o que lhes confere o terceiro melhor recorde em termos de vitórias, apenas atrás do Milan e, como referimos anteriormente, do Real Madrid.

A última vez que estes conjuntos se encontraram numa final foi em 2018, onde a vitória acabaria por cair para o lado dos espanhóis, numa final reconhecida por alguns lances verdadeiramente caricatos.

Reds procuram terminar temporada da melhor forma

O conjunto de Jurgen Kloop parece ter voltado este ano àquele Liverpool que todos conhecemos, com um jogo extremamente “pressionante”, onde a capacidade individual ofensiva dos protagonistas acaba por se evidenciar.

A chegada de Luis Diaz, proveniente do FC Porto, e a afirmação na frente de ataque do internacional português Diogo Jota foram, sem dúvida alguma, duas das razões mais importantes para o conjunto inglês.

Tendo estado na luta pelo título da Premier League até aos últimos minutos do campeonato, os Reds acabaram por não sair por cima, sendo que o que fica marcado na memória dos seus adeptos são as vitórias na Carabao Cup e na FA Cup.

Depois de uma fase de grupos, onde esteve extremamente sólido, num grupo que por si só não era nada fácil, o Liverpool acabou por eliminar o Inter de Milão, o Benfica e o Villarreal no seu percurso até à final.

O confronto das meias-finais acabou por ser mesmo o mais surpreendente, já que os ingleses se viram numa situação muito complicada na segunda volta frente ao Villarreal, tendo acabado por resolver a situação e conseguir um golo que os fez chegar ao jogo do título.

Culminar de temporada impressionante dos merengues

Aproveitando um pouco as temporadas bastante abaixo do nível dos seus concorrentes diretos no Barcelona e Atlético Madrid, o Real Madrid acabou por se tornar novamente campeão da La Liga com uma margem extremamente confortável de 13 pontos.

Apesar de carecerem de uma “verdadeira superestrela”, os merengues mostraram o porquê de serem um dos conjuntos mais titulados do mundo, realizando uma temporada acima da média e com vários nomes a destacarem-se nas diferentes vertentes do jogo.

Para além das performances a nível interno, o Real Madrid acabou por ter uma fase de grupos relativamente fácil na Champions League, apenas com uma derrota verdadeiramente surpreendente frente ao Sheriff da Moldávia pelo meio.

Após a fase de grupos, o Real Madrid foi logo colocado à prova nos oitavos-de-final, ao ter de defrontar outro dos candidatos ao título no PSG. Depois de perderem o primeiro jogo, os merengues viriam a mostrar toda a sua qualidade a jogar em casa, eliminando assim os franceses para defrontarem o Chelsea na ronda seguinte.

Mais uma vez a equipa espanhola seria posta à prova frente a este adversário, sendo que a eliminatória só viria a ser decidida após prolongamento. Para finalizar o seu percurso até à final da Champions League, pela frente teve o Manchester City, sendo que estes dois clubes protagonizaram uma das melhores eliminatórias de sempre da competição, com um prolongamento que viria a ser chave para a equipa de Carlo Ancelotti.

Experiência e irreverência dos protagonistas

Como seria de esperar, estes são dois emblemas que primam por ter excelentes executantes em praticamente todas as áreas do jogo, sendo que o meio-campo para a frente acaba por ser onde a irreverência acaba por vir ao de cima.

No lado dos “blancos”, Karim Benzema está a realizar a melhor temporada da sua carreira aos 32 anos. É o verdadeiro líder deste conjunto e o jogador mais preponderante nos momentos decisivos, através de exibições fenomenais. Do seu lado, o francês tem estado extremamente bem secundado por jogadores jovens, mas que já demonstram muita solidez, com destaque para Vinicius Jr, Rodrygo e, a contratação mais badalada deste ano, na coqueluche Camavinga.

Quando falamos do Liverpool, temos em conta um conjunto bem mais experiente e já com muitas rotinas associadas ao seu estilo de jogo, com grande destaque para a dupla Mohammad Salah e Sadio Mané.

Além destes jogadores, Diaz e Jota acabaram por ser extremamente importantes, com o avançado português a acabar por ser mesmo um dos melhores marcadores da Premier League esta temporada.

Contudo, é preciso também realçar a consistência de jogadores como Van Djik, Alexander-Arnold e Jordan Henderson, que realizaram mais de 50 jogos este ano, para a final da Champions League.

Rivalidade de longa data

Apesar destes clubes apenas se terem encontrado por oito ocasiões na Champions League, há uma enorme rivalidade, já que falamos de dois dos emblemas com maior palmarés a nível do futebol mundial.

A primeira vez que se defrontaram em campo na final da Champions League foi em 1980/1981, onde o Liverpool viria a sair por cima com uma vitória por 1-0.

Durante 29 anos estas equipas não se voltaram a encontrar, sendo que na temporada 2008/2009 o reencontro viria a acontecer, nos oitavos de final da competição, com os ingleses a voltarem a dominar com duas vitórias convincentes.

Continuando um trajeto com poucos jogos entre si, o Real Madrid e o Liverpool viriam a encontrar-se no grupo B em 2014/2015, sendo que a dinâmica mudou com as duas vitórias para o lado espanhol.

A final da Champions League de 2017/2018 foi a segunda vez em que estas equipas se juntaram para lutar pelo título, num jogo que acabou por ser dominado pela equipa de Zinedine Zidane, onde os erros do guarda-redes do Liverpool acabaram por estar em evidência.

Na temporada passada, nos quartos de final da competição, a equipa espanhola acaba numa posição avançada, com um resultado agregado de 3-1.

Clubes a preparar o futuro

O futebol é cada vez mais um desporto de movimentações nos bastidores e a verdade é que, mesmo antes desta temporada finalizar, o Real Madrid tentou a transferência mais bombástica da temporada, a estrela Kyllian Mbappé.

Apesar do seu carinho pelo clube e de todas as negociações com Florentino Pérez, Mbappé e a sua equipa pessoal acabou por renovar pelo PSG, assinando um contrato com números estratosféricos.

Até ao momento os espanhóis ainda não assinaram nenhum jogador de renome para a próxima temporada, porém, correm rumores que uma das grandes apostas será num jovem brasileiro de seu nome Endrick, que deverá reforçar a frente ataque madrilena.

No que toca ao Liverpool, as movimentações também ainda não são muitas. Até ao momento,  Fábio Carvalho, um jovem português que representava o Fulham, é a maior contratação por parte de Jurgen Kloop.

É certo que, com o final da temporada desportiva, veremos mais nomes a serem lançados para o mercado, já que estas são duas equipas que irão precisar de reforçar a sua rotação para uma época que se avizinha muito cansativa.

Últimas edições da competição

As últimas competições têm vindo a ser dominadas maioritariamente por clubes espanhóis e ingleses, seguindo-se apenas alguns clubes alemães, franceses e italianos, mas com uma presença menos relevante.

Desde a temporada de 2001/2002 (ou seja, utilizando as últimas vinte edições da Champions League como referência), vimos 9 títulos ir para Espanha, 5 para Inglaterra, 3 para Itália, 2 para Alemanha e 1 para Portugal.

Esta sequência de resultados demonstra claramente o porquê de praticamente todos os campeões virem dos seis melhores campeonatos europeus (com exceção para a Ligue 1 francesa que não conta com nenhum vencedor recente).

Apesar do domínio espanhol, a verdade é que o último título por parte de uma equipa ibérica já conta da temporada 2017/2018, onde existiu o famoso “Tri” por parte do Real Madrid.

Mercados e apostas ao rubro

A final da Liga dos Campeões é um dos eventos que mais apostas movimenta em todo o mundo, apenas sendo comparado ao Super Bowl em termos de montantes.

A maioria das apostas realizadas acaba por ser em pré-jogo, sendo que apenas os apostadores mais experientes esperam pelos mercados ao vivo para lançarem os seus palpites.

Os mercados em maior evidência são o do “Resultado Final”, “Total de Golos” e “Handicap”.

Contudo, como estamos perante um evento muito especial, vemos mercados especiais a serem lançados pelas diferentes casas de apostas, com vista a cativar o interesse de mais apostadores.

Os mercados de apostas de “Jogadores”, “Especiais” e “Estatísticas” acabam assim por ganhar uma grande preponderância, o que não é muito recorrente durante a temporada desportiva.

Previsão para o duelo de gigantes europeus

O favoritismo dado pelas casas de apostas ao Liverpool parece-nos merecido. Isto não só porque possui uma equipa mais experiente (no geral) neste tipo de jogos, mas também porque parece apresentar-se em melhor forma.

Enquanto o Real Madrid tem “sobrevivido” em quase todas as rondas, o Liverpool tem sido mais incisivo nas suas abordagens, mesmo nas meias-finais, onde sentiu mais dificuldades.

Já que estas são duas equipas que gostam de se lançar ao ataque, sobretudo em transições ofensivas rápidas, espera-se um jogo aberto. Assim, atenção aos mercados de golos e cantos, que se podem tornar bastante apetecíveis.

Uma final da Champions League pode ser um prognóstico extremamente difícil, mas o Liverpool a vencer em tempo regulamentar acaba por ser a resposta mais consensual entre os nossos especialistas para esta temporada.